quinta-feira, 15 de janeiro de 2015

Ainda é você

Porque ainda é você. Ainda é você no meu caminhar sem rumo, no meu olhar perdido e no meu pensar distante. Ainda é você naquela música cantada com todo fervor, no poema recitado cotidianamente feito oração e no meu livro favorito. Ainda é você na cerveja gelada, nas cartas de baralho mal distribuídas e nos bilhetes ligeiramente rabiscados. Ainda é você nas conversas jogadas fora e nas reflexões que me tomam quase todo o tempo. Ainda é você na calmaria do meu quarto escuro e na solidão da noite. Ainda é você quando dou o meu melhor e o meu pior também. Ainda é você quando reconheço meus defeitos e quando me esforço para melhorá-los. Ainda é você quando me sinto extremamente feliz e totalmente destruída. Ainda é você quando vivo a vida intensamente e quando resolvo me entregar às surpresas do destino.
Porque mesmo com a imensa distância que nos separa, ainda é você em cada gesto meu, em cada olhar direcionado a um qualquer e em cada pedaço de mim.

9 comentários:

  1. E como ao título que lhe faz jus, as palavras sempre trazem à tona o que fica de cada parte que construímos com alguém (principalmente quando temos a noção de que as pequenas mudanças e o que nos tornamos hoje só seriam possíveis com aquilo)....
    Belo 2015, gabi!
    Abraço.

    ResponderExcluir
  2. quem seria esse você ??? você já se apaixonou por alguém ?

    ResponderExcluir
  3. blog fantástico lindos poemas...

    ResponderExcluir
  4. “Ainda ser’ será teimosia do coração? Ou ele foi o responsável ‘apenas’ por espalhar essa química pelo corpo todo, e agora o eu inteiro não consegue desvencilhar-se do que ‘ainda é’? Ou serão todos os lugares, os detalhes e os momentos intensos que conspiraram para excluir da mente tudo que não seja o ‘ainda ser’? Porque a verdade é que o ‘você’ que ‘ainda é’ no coração, na mente, no corpo, na maioria das vezes já não é, e, pior, já não é porque já não quer ser... Como sair dessa ambiguidade: ‘ainda é’ e ‘já não é’? Por incrível que pareça, só um grande amor toma o lugar de um grande amor. Mas esse segundo terá que enfrentar horrendos e convictos ‘não és’, ‘não quero que sejas’ e ‘nunca serás!’ até transformar-se em ‘agora és’. Mas ele não desistirá por isso! É exatamente nisso que ele provará ‘ser’ amor! ‘Ser’ um grande amor! Que texto desafiador, ragazza! Bem sabes o que penso de teus textos! Beijossssssssss

    ResponderExcluir
  5. Porque não importa a distância quando se tem alguém como tatuagem né...
    Lindo o desenho personalizado.
    Beijos,

    ResponderExcluir
  6. Ao visitar alguns blogs me deparei com o seu, e quero dar-lhe os parabéns por partilhar o seu saber, gostei por isso deixo aqui um convite:
    Ficaria radiante se visita-se o meu blog, e leia alguma coisa, meu blog é um blog cristão que fala de diversos assuntos.
    É o Peregrino E Servo.
    Desejo muita paz e saúde.
    http://peregrinoeservoantoniobatalha.blogspot.pt/

    ResponderExcluir
  7. Oi Tia, adorei os poemas. A senhora é muito criativa.

    assinado: João Paulo Nunes (seu aluno)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, meu amor. Agradeço pelo seu carinho e elogio. Beijos

      Excluir
    2. Oi, meu amor. Agradeço pelo seu carinho e elogio. Beijos

      Excluir