sábado, 22 de maio de 2010

A cura desejada

Estava ela ali, mais uma vez, na porta daquele lugar que tantas vezes tentara entrar mas nunca conseguira! Agora, havia criado coragem, e dali para frente tudo seria diferente.
Empurrou a porta, olhou uma última vez para a rua, passaria um bom tempo sem olhar aquele movimento. Colocou sua mala no chão, deu um sorriso amarelo para a recepcionista respondendo o que queria:
-Quero me tratar! - já lhe vinham as lágrimas- Eu preciso, preciso mesmo! E estou decidida, quero largar esse vício que só me destrói.
A atendente encaminhou a moça a um psiquiatra da clínica que faria uma entrevista para avalia-la. Assim que entrou na sala que lhe foi indicada logo jogou-se na poltrona que nem havia lhe sido oferecida ainda; e junto com ela desabaram todas as lágrimas que estavão na iminência de cair. O especialista olhou pacientemente para aquela jovem, tentando imaginar que mal a trazia ali. Esperou que seus soluços cessassem e então perguntou-lhe:
- Vamos falar do que a trouxe aqui?
Ela engoliu o resto do choro que não tinha mais, deu um suspiro, e falou como se nunca mais conseguisse o fazer:
- Doutor, várias vezes passei aqui na porta, mas não tinha coragem nem de entrar. Só que agora, eu deixei de ser covarde, decidi me tratar. Por que se não, doutor, esse vicio termina de me matar por dentro e só de ruim deixa viva.
Ele olhou seriamente para ela e começou com um discurso que já era esperado:
- O mais importante já aconteceu, você tomou consciência de que precisa se tratar; mas fale mais a respeito para que possamos saber como cuidar de você, certo?
- Ah doutor, no começo eu pensei que era uma coisa boa e que eu podia controlar; pensava que na hora que eu quisesse parar eu conseguia, mas não foi assim, não foi. A cada dia que eu experimentava daquilo eu ficava mais dependente, e no dia que eu não pude mais ter fiquei louca. Me desesperei, fiz de tudo para ter aquilo de volta. E até tentei parar algumas vezes, mas sempre tinha a recaída, e não dava em outra, me achava fraca, sentia nojo de mim. Mas aquela droga, sempre foi mais forte que eu. Só que eu já perdi muito, doutor, nem me tenho mais. Já paguei os preços mais altos que se possa pagar, não tenho mais nada a dar e acabei ficando sozinha, eu achava que tinha no vício tudo e todos de quem eu precisava.
Quando a moça parou de olhar o médico perguntou-lhe comovido:
-Minha filha, que mal eu lhe pergunte, que droga você experimentou?
Ela cobriu o rosto com as mãos, como quem se enchia de vergonha, e em um solução doído falou:
- Da pior que possa existir, doutor; Eu provei...ai, eu provei do amor!
Ele olhou com pena para aquela menina e doeu-lhe informar que ela não encontraria cura ali, e nem em outro lugar; sua única esperança era ela mesma.






Dia 09: uma música que faz você cair num sono

13 comentários:

  1. ameeei! *-*
    super criativo. de certa forma, amor é uma droga mesmo, vicia e faz a gente cometer loucuras para ter.

    beijãão

    ResponderExcluir
  2. E põe criativo nisso. bom! beijos

    ResponderExcluir
  3. Comecei a imaginar que fosse o amor mais ou menos pela metade, hehe... e é isso aí, o amor é uma droga, vicia, acho que o pior não é ser viciado nessa droga e ter abstinência dela =)

    Bjs...

    ResponderExcluir
  4. awww, eu amei! fiquei bem coladinha ao ecrã a ler todo o seu texto.
    está realmente muito BONITO. parabéns querida
    e obrigada pelas melhoras. um beijo enorme *

    ResponderExcluir
  5. Ah, eu fiz um texto parecido com este teu, há um tempinho..Mas no meu caso, queria explicações e reações rápidas; a cura, me conformei antes mesmo de procurar ajuda, não existe! Hahaha
    É uma dependência boa, e ao mesmo tempo, péssima. Se livrar, missão complicadérrima!
    Boa sorte, viu? Hahahaha
    Beijos Gabi querida!

    ResponderExcluir
  6. Aii que fofoo! *---*
    triste, mais fofo *-*
    Ameei, adoreii, tuddo! (:

    Bj:*

    ResponderExcluir
  7. to passando só pra desejar uma boa semana... depois leio com mais calma. beijos!

    ResponderExcluir
  8. vou ler, vou ler com mais calma. mas, deixei um selinho pra vocÊ no meu blog, hein.
    beijos ;*

    ResponderExcluir
  9. Muito bom o seu blog! Gostei dos textos! Se puder, acesse o meu também: www.marcelovinicius.com

    Abraços

    ResponderExcluir
  10. A esperança está em nós sempre.

    Beijo fofinha! ^^

    ResponderExcluir
  11. Amores, MUITO obrigada pelo carinho!
    Jéssica e Rodolpho, prometo que logo logo repasso os selinhos;)
    beeijos:*

    ResponderExcluir