quinta-feira, 9 de dezembro de 2010

Gotas de solidão

A chuva tá caindo forte demais, esses raios e trovões tão me dando um medo danado. Uii, que frio é esse, hein? Estranho esse frio: arrepia dos pés a cabeça, deixa a boca seca, gela tudo e vem de dentro, mais precisamente do peito. Sabe o que eu queria agora? Estar a uma pequeníssima distância de ti e correr para tua cama, como quando eu sentia daqueles medos enormes e corria para debaixo dos teus lençóis sem dizer nada. Não ria assim de mim, meu bem, olhe como estão bravos estes relâmpagos, olhe. Danados! Despejam toda a sua fúria sobre a minha coragem e me deixam assim – medrosa. Ah, meu amor, é bastante difícil superar estes medos, principalmente quando a sua fonte de coragem e incentivo para superá-los está tão longe, assim como você de mim. Aham, é isso aí mesmo: EU AINDA DEPENDO DE VOCÊ, muito, muitíssimo, bastante, exageradamente. Eu assumo. Até porque, de você eu não me envergonho faz tempo demais. Bem lembrado, eu ainda preciso dizer isso? Acho que não, né? É pleonasmo, redundância e essa distância faz cada palavrinha de amor machucar bem forte e eu tenho sentido mais dor do que pensei poder suportar. Já sei: lembrei agora, que uma vez quando eu pensei em desistir, você me disse que quando eu quisesse mais que tudo alguma coisa era só fechar os olhos com força e pedir, pedir, pedir, que se quando eu os abrisse o meu desejo não estivesse ali eu olharia para o canto e acharia determinação para buscá-lo. Pois é, vou fechar os olhos, apertá-los, apertá-los, apertá-los e vou abrir-los devagarzinho para ver se você aparece na minha frente e matar esse medo. Fechei. Apertei, dessa vez mais forte ainda; abri o mais devagar que pude, no entanto ainda chove, os relâmpagos estão mais fortes, o medo ainda me consome e, ah, vejam só: você não está aqui.

15 comentários:

  1. amei amiga! esse fica como meu favorito depois daquele da "minha meia hora" hahaha.
    =*

    ResponderExcluir
  2. Olhe para o canto e procure determinação para busca-lo.
    Lindo texto flor!
    Beijos

    ResponderExcluir
  3. mas não dependa demais, faz um mal danado.

    ResponderExcluir
  4. Lindo o post! Adorei! Gostei MUITO da foto tambem! *-*

    ResponderExcluir
  5. Essa dependência parece boa... Na medida!

    ResponderExcluir
  6. Perfeito, delicado!!

    beijocas, bom final de semana

    ResponderExcluir
  7. Sempre que me despeço de quem eu amo (que está longe, lá do outro lado do mar), eu digo : "Te trago sempre, sempre comigo."

    É a nossa forma de encurtar a distância e de pensar que o outro está ali, ao alcance das mãos, e que podemos abraçá-lo quando ouvimos os trovões.

    Lindo post, florzinha.

    Um beijo.

    ℓυηα

    ResponderExcluir
  8. "(...)e, ah, vejam só: você não está aqui." Resume tudo o que eu achei do texto nesta frase. Lindo. Maravilhoso. A-do-rei ♥

    ResponderExcluir
  9. como você consegue colocar isso em palavras?! isso é fantástico. muito obrigada por sempre escrever textos maravilhosos! =))

    ResponderExcluir
  10. belas palavras...

    beijo querida,
    *.*

    ResponderExcluir
  11. oi gabriela, tudo bem?

    lembrei-me do refrão da antiga música do belchior:

    Foi por medo de avião
    que eu segurei pela primeira vez a tua mão...rssss

    abraços

    ResponderExcluir
  12. Seria muito bom se quando quisessemos alguma coisa so fecharmos os olhos e ao abri-los o nosso desejo estaria ali na nossa frente, seria maravilhoso!

    Amei esse texto, ficou tão doce!


    Beijos flor

    ResponderExcluir
  13. E como essa angústia de querer ver, e não poder, vai nos consumindo por dentro, né? Sinto o mesmo, mas já não com tamanha força. O bom é que um dia o sol abre, e daí o sorriso volta a estampar o rosto! Beijo, guria.

    ResponderExcluir
  14. Não sei se é bom ou ruim depender tanto de alguem..
    mas a slidão é um castigo que ninguem merece!


    bjs linda.

    ResponderExcluir
  15. Detesto depender de alguém. Mas detesto MESMO.
    Porque a dependência nos leva a situações completamente indesejáveis, e, no meu ponto de vista, não é algo bom.
    Cada caso é um caso.

    ResponderExcluir